Covid-19 faz Axa acelerar a plataforma digital de venda de seguros em parceiros do varejo e setor financeiro

19.06.2020 - Fonte: Sonho Seguro

shaking-hands-3091906_1280-1-1024x519

Ambição é ajudar classes C e D ter mais resiliência financeira ao ter produtos que oferecem proteção aos problemas do dia a dia.

Depois de superados os primeiros obstáculos para colocar funcionários em segurança no home office em meados de março, quando o governo determinou a quarentena para conter o contágio do coronavírus, a seguradora Axa acelerou o processo de expansão das parcerias comerciais que abrangem redes de varejo e instituições financeiras, o que inclui também as fintechs de crédito, que se proliferam rapidamente no Brasil e ganham musculatura num momento de crédito mais restrito por parte dos grandes bancos.

Nessa esteira, a seguradora iniciou uma parceria inédita com a fintech de crédito consignado Paketá, para oferecer seguros a mais de 640 empresas parceiras por todo o país. “A aproximação entre a AXA e a Paketá é uma iniciativa para oferecer maior segurança aos funcionários na hora de contratar crédito. O seguro contribui para mitigar o receio de fazer dívidas mais longas”, diz Sébastien Guidoni, Vice-Presidente de Parcerias, Estratégia e Finanças da AXA no Brasil.

No varejo, a principal cliente da Axa é a Pernambucanas, com a qual tem um contrato até 2031, com expectativa de receitas previstas em R$ 3,7 bilhões. Trata-se do maior programa de seguros do varejo brasileiro e que ganha ainda mais força neste momento, quando todos se debruçam em encontrar soluções que tragam mais resiliência financeira às classes sociais mais necessitadas.

Enquanto o governo federal tem este tema em pauta, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, conversando com o Congresso Nacional sobre como viabilizar renda à população carente, a Axa aprimora soluções para levar mais proteção privada para as classes C e D, a fim de garantir que um imprevisto seja apenas algo contornável e não algo que coloque o indivíduo ou as famílias numa situação de vulnerabilidade.

“Temos a convicção de que as classes sociais emergentes precisam desenvolver resiliência. Nossa ambição é estar no dia a dia das pessoas deste segmento. Quebrou o celular? Vamos buscar outro para repor, pois em muitos casos o smartphone é o meio de trabalho da pessoa. Tem um problema de saúde, temos um produto que paga uma indenização diária por hospitalização para ser usado da forma que for mais conveniente, como por exemplo poder pagar alguém para cuidar do filho neste período. Remédios? Oferecemos uma rede com descontos especiais. Nossa rotina é buscar respostas sobre como podemos buscar soluções que proporcionam resiliência financeira em momentos de situações imprevistas”, diz Guidoni.

Uma das soluções encontradas para levar o seguro a cada vez mais pessoas, mesmo durante a pandemia, foi expandir a parceria com a Pernambucanas para os canais digitais onde, desde abril, é possível contratar os produtos e serviços da seguradora. Segundo Guidoni, a crise do Covid-19 tem sido uma oportunidade de acelerar mudanças. “Conseguimos agir muito rapidamente. Fizemos em quatro semanas o trabalho de 10 meses. Todos alinhados sobre a necessidade de sermos muito ágeis, para gerenciar os impactos do fechamento das lojas físicas e manter a oferta de serviços ao consumidor”, diz o executivo da Axa que, além da Pernambucanas, tem em carteira a Leroy Merlin e contratos com varejistas médios, que juntos representam 40% das vendas no Brasil.

No entanto, colocar a plataforma para funcionar não foi o maior desafio da Axa. “O desafio está em ter um processo de seleção de riscos automatizado para suportar a nossa solução digital”, explica. “Neste tipo de negócio, temos muita frequência de pedidos de indenização de baixo custo. O que requer uma plataforma de subscrição e gestão muito precisa, afinal este tipo de negócio não é um processo mágico e sim calculado. E a previsibilidade é um dos pontos cruciais da nossa plataforma”,

Um cliente que tem seu problema resolvido num momento de dificuldade se torna fiel a marca. Imagina ter seu celular roubado e ele ser reposto no dia seguinte? Isso cria fidelidade para nossos parceiros e é nesta qualidade de prestação de serviços que nos dedicamos dia a dia”, enfatiza.

Com o desenvolvimento da proposta de valor mais positiva, agora a seguradora busca outros ecossistemas e não somente grandes parcerias. “Nosso foco agora é otimizar o sucesso que temos com o varejo em pequenas empresas”, afirma o francês que está no grupo Axa há 15 anos e no Brasil desde meados de 2018.

Segundo ele, hoje as seguradoras que atuam no varejo ofertam praticamente os mesmos seguros e comissionamento em plataformas com uso de API e aplicativos. “Nosso principal movimento está em desenvolver produtos e serviços junto ao nosso parceiro, por meio de pesquisas que acelerem o desenvolvimento da parceria. O resultado tem sido a entrega de produtos simples, de maneira ágil e que agregam valor ao consumidor final”, completa.

Notícias Relacionadas