Icatu Seguros investe forte para apoiar o Corretor na pandemia

05.06.2020 - Fonte: CQCS

5baa33ccd2721

Em “live” realizada nesta quinta-feira (04 de junho) pela Icatu Seguros, o presidente da companhia, Luciano Snel, afirmou que foram adotadas diferentes ações de apoio aos corretores de seguros após o início da pandemia do coronavírus. “São ações de sustentabilidade ao trabalho dos corretores. Entre as primeiras medidas constaram a não realização de estornos de comissão nos primeiros meses e a antecipação das bonificações anuais”, revelou o executivo.

Ele acrescentou que, em um segundo momento, foi criado um “time de especialistas” com a missão de desenvolver novas funcionalidades na ”Casa do Corretor (portal criado pela Icatu para os seus parceiros).

Snel explicou que a equipe da empresa manteve alto engajamento para que, através dessas funcionalidades, os corretores possam consultar, com facilidade, informações referentes ao status das propostas, detalhes da aceitação, primeiro pagamento dos seguros de vida e planos de previdência. “Até o final do ano, mais 50 novas funcionalidades serão lançadas na Casa do Corretor”, anunciou.

O presidente da Icatu observou ainda que os tradicionais almoços das terças-feiras objetivando “escutar o corretor e conhecer suas prioridades” foram substituídos, durante a pandemia por conversas virtuais organizadas pelas 32 filiais da companhia. “Temos investido em uma plataforma de conhecimento para corretores, realização constante de lives e treinamentos ao vivo, com a participação de especialistas que reúnem até mil pessoas em cada sessão”, ressaltou Snel.

Na live, o presidente da Icatu destacou também que a crise tirou o mercado do conforto, obrigando a todos a deixarem a área de conforto. Segundo ele, o lado bom é que as pessoas estão mais interessadas no seguro de vida e na necessidade de proteção financeira. “o momento é de combinar seguro de vida com previdência para garantir um futuro melhor. A crise nos obriga a focar em novas soluções com mais velocidade. Então, 2030 virou 2020”, afirmou Snel.

Ele lembrou que a previdência já tinha se transformado em produtos de máxima importância para o brasileiro antes mesmo da pandemia. Mas, faltava levar essa experiência também para a cobertura dos seguros de pessoas. “Acredito que essa cultura chegou para ficar no Brasil”, acrescentou.

Para Snel, esse processo ganha novos contornos com a queda de juros e a inflação sob controle, que incentivam as pessoas a fazerem planejamento de longo prazo, para 20 ou 30 anos, buscando uma solução mais completa.

Notícias Relacionadas