Proteção à vida supera a de automóveis entre os gaúchos

07.11.2019 - Fonte: Jornal do Comércio

mq111018_gboex06-8506261

De acordo com o Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg-RS), o automóvel sempre foi o segmento com maior penetração para o brasileiro. Por ser um objeto de desejo de muitos e apresentar alto custo, sempre houve a preocupação em relação a protegê-lo, principalmente em caso de sinistro, onde os gastos podem ser muito elevados. Mesmo assim, atualmente, apenas 35% da frota é segurada no Estado e, destes, 60% têm até cinco anos de uso.

Veículos de até dez anos são facilmente segurados, desde que não tenham restritivos judiciais. "No Estado, houve uma queda de 1,9% da modalidade ate julho, com uma arrecadação de R$ 1,5 bilhão. Notamos uma mudança no padrão de consumo, pois além da produção de automóveis ter apresentado retração, os jovens já não desejam possuir carro, mas apenas usufruir através de aplicativos de mobilidade", destaca o presidente da entidade, Guacir Bueno.

Nos últimos anos, no entanto, a entidade tem percebido que a busca por seguro pessoal vem apresentando um crescimento superior ao de veículos, seja para garantir renda em caso de perda de emprego, de falecimento do responsável pelo sustento familiar ou doença grave. "O seguro de vida, por exemplo, movimentou R$ 2,3 bilhões nos primeiros sete meses do ano, o que representa um aumento de 26,1%. Ele nos causa uma esperança de que o povo brasileiro esteja se conscientizando da importância de cuidar da proteção aos nossos beneficiários. Em países mais desenvolvidos como o Japão, a penetração desta modalidade chega a quase 90% das famílias", ressalta o dirigente.

O gaúcho também parece estar descobrindo o seguro patrimonial como forma de assegurar a manutenção dos seus bens. Prova disso é que a proteção residencial apresentou um desempenho positivo de 27,8% de janeiro a julho de 2019, com arrecadação de R$ 538 milhões. Contribuem para isso as assistências, que muitas vezes estão embutidas na apólice, como instalações de ventiladores, reparos elétricos, chaveiro e até mesmo assistência pet, e a publicidade mais abrangente sobre catástrofes, especialmente climáticas, que estão ocorrendo e resultam em mais negócios.

De acordo com o diretor-presidente do Gboex, Ilton Brum de Oliveira, o seguro tem uma gama muito grande de alternativas e várias modalidades estão se destacando, mas os de vida e planos de previdência estão ganhando cada vez mais destaque frente às incertezas com o futuro. "A importância da educação financeira nesse aspecto tem sido entendida pela sociedade. A ampliação de conhecimento impulsiona o mercado de previdência e seguros, pois as pessoas buscam soluções para garantir algum tipo de provisão para o futuro e encontram a aquisição de seguros e planos de previdência como os mais indicados", diz.

Ele destaca ainda a maior procura por seguro de vida e o pecúlio.

Notícias Relacionadas