Paulo Cardoso: disciplina, honestidade e profissionalismo

12.07.2019 - Fonte: Seguro Gaúcho | Julia Schneider

5d1b9dd721f6a

Oriundo da área financeira, o corretor Paulo Roberto Cardoso ingressou no mercado de seguros a partir de um convite de um amigo para montar uma Corretora. Na condição de sócio e corretor responsável técnico e administrativo, Paulo acabou gostando da profissão. Após alguns anos, em agosto de 2006, já com o registro da Susep e formado no curso da Funenseg, decidiu seguir seu caminho e abrir o próprio negócio - a Alínea Corretora de Seguros, em parceria com sua esposa.

Como resultado da dedicação e capacidade do experiente casal Paulo e Edimara, em 2019 a Alínea completa 13 anos de existência. No início, o escritório funcionava nas dependências de um espaço disponibilizado pela Porto Seguro. Após 3 anos de atuação foi possível mudar-se para uma sede própria, no Centro de Porto Alegre, onde segue até hoje.

A história da Corretora é motivo de orgulho para os fundadores. “Temos orgulho de mantermos perene uma empresa pequena, apesar das políticas governamentais e dificuldades do mercado, e de sermos reconhecidos pelo mercado segurador e pelos nossos clientes pela ética e bom atendimento”.

“Nossa intenção e ambição é sermos para nossos clientes, como diz o nosso slogan, um item importante no seguro”, é o que destaca Paulo. Para isso, o corretor guia sua caminhada com base em seus principais valores: disciplina, honestidade e profissionalismo.

Gaúcho da cidade de Pelotas e filho de pais trabalhadores, Paulo possui boas recordações da infância alegre e tranquila. Atualmente casado com Edimara Dias de Lima Cardoso, o corretor é caseiro. “Gosto de assistir filmes e esportes na televisão. Também gosto muito de ir à praia, onde faço churrasco para meus amigos e familiares”. Viajar também ocupa um bom espaço entre seus hobbies, e Paulo é sonhador: “No momento tenho sonho de ir à Europa e conhecer Portugal, terra dos meus avós paternos. Aos poucos vamos nos programando e chegamos lá”.

Para o futuro, as expectativas são seguir trabalhando. “Esperamos manter a perenidade da nossa empresa, enfrentando as dificuldades que o mercado nos apresenta e mantendo nossa filosofia e proposta de trabalho e seguir de olho no crescimento, mas sem dar passos maiores que a nossa condição permite”, Paulo explica.

“Tenho isso como regra nas vidas pessoal e profissional: nunca fazer para ninguém aquilo que não gostaria que fizessem comigo. Não prejudico ninguém e não aprecio ser prejudicado. Se todos agissem assim todos seríamos muito felizes”.

Ver mais entrevistas