Kely Maciel

30.11.2018 - Fonte: Seguro Gaúcho | Arthur Pacheco

5bfe83fc2a8c2

Kely Maciel é Assistente Comercial da Sompo Seguros há 5 anos e seu trabalho nos bastidores é um dos pilares que auxiliam no dia a dia da companhia. Para ela, em evolução pessoal e profissional, o mais importante de tudo é o aprendizado recorrente que a vida nos traz.

Nascida em Porto Alegre, teve seu primeiro emprego em uma corretora. "Tentei mudar de ramo, mas acabei voltando para o Ramo Securitário, pois é o que eu gosto e o que sei fazer, a Sompo foi a primeira seguradora que trabalhei".

Kely recebeu o convite para trabalhar em uma corretora, o que para ela foi um desafio. "Depois fui aprendendo e gostando de atuar nisso, fiz os cursos na Escola Nacional de Seguros e permaneço no mercado até hoje".

Para ela, o importante é não desistir. Em sua primeira tentativa na vaga do Setor de Sinistro na companhia, não foi chamada. No entanto, outra vaga surgiu e foi selecionada. "Trabalhei na área de sinistro como reguladora por 2 anos, quando o setor foi extinto aqui na região Sul, fui convidada pelo Renato para compor a área comercial, aceitei o desafio de atender a parte de sinistro da Filial".

A apólice, segundo Kely, é um fator de segurança importante para todas as pessoas e pode oferecer tranquilidade aos segurados. A variedade nos seguros também é algo que deve ser lembrado. "Antes as pessoas tinham a ideia de somente segurar o veículo, e seus demais bens e vida não! Hoje todos nós estamos com uma cultura de adquirir seguro para tudo. Sendo num momento difícil existe um respaldo. Eu gosto de trabalhar assim, com algo tão importante", contou.

Temporais e viradas no tempo são comuns para o verão na capital gaúcha. Um desses vendavais marcou a carreira da assistente comercial. "O que eu tenho mais marcado de todos foi o Vendaval do dia 29/01/2016, esta ocorrência irei me lembrar por muitos anos. Foram muitos estragos aqui em Porto Alegre e região".

Ela recorda com carinho dos momentos de sua infância. "Tenho boas lembranças nos almoços de família nos domingos na casa dos meus avós, cada final de semana dividia entre os avós maternos e paternos. Eram muitas pessoas, parecia sempre uma festa". Atualmente tem um filho de 8 anos, Bernardo. Ela mantém uma boa relação apesar de precisar administrar o tempo do trabalho.

No futuro, se vê ainda no ramo dos seguros. "É o que eu sei e gosto de fazer, se possível continuar aqui na Sompo, continuar aprendendo e crescendo". Além de tudo, o essencial para Kely é continuar vivendo da melhor forma possível. "Estou aprendendo muito com a vida e com os acontecimentos dela, pois cada perda ou ganho vem para nos ensinar algo de novo".

Ver mais entrevistas