Eder Oliveira

28.09.2016 - Fonte: Seguro Gaúcho | Maria Karolina

  Natural de Porto Alegre, Eder Gerson Aguiar de Oliveira iniciou no mercado segurador aos 16 anos. “Gremista desde a encarnação passada”, como ele se classifica, é casado há 32 anos com a Carmem e pai de três filhos. Com uma grande trajetória e expertise impecável no ramo, o executivo da Atuária Brasil é pós-graduado em Finanças pela PUCRS, em Ciências Atuariais e Contábeis, é membro do Instituto Brasileiro de Atuária e participa ativamente da diretoria do CVG-RS há alguns anos. Quando não está trabalhando, gosta de estar com amigos. “Nós temos um rol de amizades bastante grande e em quase todos finais de semanas temos algum evento. Eu também vou a jogos, quando são bons, mas já estou trocando por passar um tempo com a minha esposa e família”, conta Eder. Conheça um pouco da história deste grande profissional na conversa que ele teve com o Seguro Gacho para o Papo 10, quadro criado com o objetivo de dar voz aos personagens do setor, em um bate-bola leve e descontraído. Seguro Gaúcho: Como foi a tua infância e a tua juventude?Eder: Sou nascido em Porto Alegre, fiz toda a escolaridade no ensino público, porque naquela época as escolas públicas tinham uma qualidade melhor. Tive uma família que sempre me apoiou muito, meu pai como funcionário público do Correios, mas sempre com certa dificuldade. Acho que todos nós com mais de 50 anos não tivemos as facilidades que os jovens têm hoje. Minha mãe como dona de casa e mais meus dois irmão, a família era composta por 5 pessoas, vivendo da linha de trabalho do meu pai. Seguro Gaúcho: E o teu início no mercado de trabalho?Eder: Eu estudei na Escola Técnica Parobé onde iniciei como arquiteto, cursando edificações de obras. Comecei a trabalhar aos 16 anos, na Aplub, no dia 1º de agosto de 1980 eu ingressei na empresa, então eu já me direcionava para a universidade. Como estava dentro do mercado de previdência e do grande mercado de seguros, iniciei a graduação Ciências atuarias e fiz um complemento ao final do curso para me formar também em Ciências Contábeis, tendo duas formações. Mais adiante eu fiz pós-graduação em finanças, me formei na Escola Superior de Guerra (Adesg). No final de 2003, depois de 23 anos eu saí da Aplub, então eu e o Ernesto Both, no início de 2004 montamos a Atuária Brasil, onde trabalhamos na linha de consultoria para empresas de seguros, previdência, capitalização e auditoria atuarial. Seguro Gaúcho: Por que escolheste essa carreira?Eder: Na verdade esta carreira aconteceu na minha vida por alguma razão. Na época que eu era menino a Aplub era uma ótima empresa para se trabalhar e de lá pra frente foi uma questão de encaixe. Eu acabei gostando da atividade de previdência e como na época a Previsul era do Grupo Aplub, nós tínhamos também o contato com o mundo dos seguros puro e essas coisas foram me encantando. Seguro Gaúcho: O quê pretendes estar fazendo daqui a 10 anos?Eder: Essa é uma pergunta bastante complexa para nós que trabalhamos com atuariais, porque o nosso trabalho é mensurar riscos. Como eu gosto demais dessa atividade e me dou muito bem com o Both, eu pretendo fazer com que a Atuária Brasil cresça cada vez mais e possamos estar numa situação mais tranquila e ter uma carga horária um pouco menor, para fazer palestras e conversar com as pessoas. Mas não tenho objetivo de parar a atividade. Seguro Gaúcho: Qual é a tua maior qualidade e o quê tu acreditas que ainda precisa melhorar?Eder: O que eu vejo como uma coisa legal na minha pessoa é o fato de eu não ter inimigos. Na minha trajetória eu tenho facilidade de esquecer coisas ruins que eventualmente aconteceram. Eu não tenho inimizade com ninguém e sempre procuro trazer as pessoas para a boa conduta, por onde eu caminho eu tento levar alegria e felicidade. O que eu acho que eu tenho que melhorar é o fato de eu ser perfeccionista, o que me ocupa tempo além do necessário. Seguro Gaúcho: O quê desperta o teu lado consumista? Por que?Eder: O meu lado consumista é com eventos. Eu já sou presidente do Partenon Tênis Clube por muitos anos, hoje eu estou presidindo a Confraria dos ex-dirigentes de Clubes Sociais do RS então eu adoro eventos e adoro estar com amigos em festas. Pra mim o consumo ideal é o que traz alegria e felicidade junto com as pessoas que tu gosta. Seguro Gaúcho: Quais são o teu livro e o teu filme preferidos?Eder: Parece mentira, mas o meu filme favorito é Titanic, eu gostei muito daquele filme que é um filme que traz a questão de uma realidade. Dentre os livros que eu li, que não são técnicos, o que me chamou atenção foi o Nosso Lar. Seguro Gaúcho: Como e pra onde seria a viagem dos sonhos?Eder: Eu não tenho viagem dos sonhos. Cada final de semana que eu vou pra casa da praia, ou quando saio com a minha esposa, aí pode ser em qualquer lugar. A viagem dos sonhos na verdade é estar acompanhado das pessoas que eu gosto. Seguro Gaúcho: Quem é a pessoa que tu mais admiras no mercado gaúcho de seguros?Eder: A primeira pessoa é o meu sócio, Ernesto Both , pelo o que ele representa em termos de profissionalismo, de conduta, é um ser humano bastante correto e pela forma que ele conduz as coisas. No mercado de seguros eu aprendi também a ver o dinamismo, o coleguismo, a amizade do César Saut, da Icatu. Por terceiro, eu gostaria de citar o Renato Pedroso, da Previsul, é uma pessoa jovem, muito inteligente, um grande amigo e eu vejo nele a capacidade de integração e visão do futuro. Seguro Gaúcho: Podes contar alguma história curiosa que tenhas passado no mercado de Seguros?Eder: Uma coisa que marcou, que foi muito bacana, quando a atuaria Brasil foi o destaque na categoria de serviços pelo CVG-RS. Nós nunca pedimos votos, por isso foi uma enorme surpresa quando fomos agraciados por esse troféu. Isso pra mim foi marcante.

Ver mais entrevistas