ACM Seguros

15/05/2017 / FONTE:

ACM SEGUROS

Natural de São Sebastião do Caí, Ana Cristina Martins de 43 anos, formou-se em magistério e planejava trabalhar como professora. “Eu queria muito trabalhar e procurava emprego na área, mas meu pai achava que nenhuma oportunidade era boa o suficiente”, conta ela. Após um período buscando entrar no mercado de trabalho, o seguro entrou na sua vida de forma indireta. A corretora que vendia seguros ao seu pai, em 1995 indicou Ana para uma vaga de secretária na Boettcher Corretora de Seguros, sendo funcionária da Novo Hamburgo Cia de Seguros Gerais, que cedia funcionários para as corretoras.

Atuou na corretora por dois anos até ser demitida, mas já tinha pego paixão pelo ramo e foi em busca de incentivo. “Eu cheguei a ir falar com o Diretor da Novo Hamburgo na época, perguntei pra ele se eu poderia continuar trabalhando com seguros, mesmo sem o registro na Susep”, conta a corretora.A partir disto, Ana utilizou o dinheiro indenizatório da demissão e comprou o material que precisava para atuar, trabalhando em casa de 1997 a 2000. “No início foi bem difícil, eu ia atender os poucos clientes de bicicleta”, relata a profissional.

Ao lado do prédio onde morava surgiu outra oportunidade, vagou uma sala comercial que se tornou o escritório da ACM Seguros, que na época ainda era pessoa física e ganhava forma “Ainda tinha muita dificuldade, eu pedi dinheiro emprestado para colocar uma persiana na janela, porque pegava muito Sol e eu não conseguia trabalhar”, ilustra Ana, que com muita vontade e trabalho, começou a conquistar clientes.

Em 2003 decidiu iniciar o curso de corretores da SUSEP e fortalecer ainda mais a carreira. Alguns anos depois, em 2008, o espaço alugado onde ficava o escritório precisou ser entregue, então a corretora precisou dar um passo ainda maior, comprar um imóvel, o atual endereço da ACM Seguros.

Em 2014, com os negócios estabilizados, Ana e Thiago se conheceram, casados há dois anos, eles também se tornaram parceiros na vida profissional. “Eu trabalhava na área da gastronomia em Florianópolis, então voltei pro Rio Grande do sul e por obra do destino eu encontrei a Ana” conta Thiago Schultz de 35 anos, que nunca havia trabalhado no ramo do seguro antes. “No início ele não queria muito, mas eu conversava com ele e estava sobrecarregada de trabalho, até que ele resolveu tentar e acabou se encontrando na área de sinistros”, explica Ana.

“Nossos momentos, são nossos momentos, trabalho é trabalho” afirma Thiago, que completa dizendo “nossos desafios não afetam nossa vida pessoal, só nós faz crescer ainda mais como marido e mulher”. Para Ana, o mais importante em dividir o ambiente de trabalho com o marido é a relação de confiança e respeito “é muito bom ter ele ao meu lado, quando atendemos algum cliente, se eu esqueço de algo, ele está lá para me ajudar. Sempre com muita troca e amor”, conclui.

0 0